O de cima sobe e o de baixo desce – TE008

A rodada do Campeonato Brasileiro deste final de semana marcou a final do Primeiro Turno. Lá se foi metade desse campeonato comprido, que de vez em quando dá sono e de vez em quando empolga. Pena que para alguns, de vez em quando dá raiva também.

O Grêmio foi o campeão simbólico do turno. Tem gente que diz que isso não representa nada. Outros dizem que isso é muito importante porque em toda era dos pontos corridos, o clube que chegou ao final do turno na frente, acabou sendo o campeão. Mas acontece que esse é, também, o campeonato mais disputado dos últimos tempos apesar dos gaúchos terem aberto 5 pontos de vantagem nesta rodada. Acontece que os gremistas vão a pé para o que der e vier e o virada do turno pode nos trazer um conversível azul correndo sem se preocupar com competições paralelas, um sedan alviverde com aquele distinto motorista de terno e gravata ou até mesmo um foguete alvinegro que sobe rapidamente. Lógico que não podemos esquecer a limusine preta com detalhes em vermelho e branco que sempre chega bem ao final e quem sabe um carro da Superliga Fórmula consiga retomar o bom desempenho. Mas uma coisa não podemos negar. Quando os gremistas resolveram andar, deixou todo mundo pra trás comendo poeira.

Flamengo e Botafogo venceram e por conta disso mesmo continuam juntos na briga. No Sábado, o Flamengo brigou com o juiz, com a torcida, com o Maracanã e, felizmente, acabou vencendo uma partida importante contra o Atlético Paranaense. Mais um jogo de resultado negativo selaria de vez o destino descendente do Mengão neste Brasileiro. Caio Júnior agora espera que as contratações sejam as soluções para o apagão do time que tem 1 turno para mostrar que quando todos achavam que o time era bom e o elenco completo, não estavam enganados.

O Fogão fez uma partida quase que perfeita contra o Palmeiras no domingo. Foi um dos melhores jogos do ano. O Botafogo a fim de marcar gols e os porcos conhecendo bem a arma ofensiva alvinegra. O placar de só 1×0 foi um castigo para o torcedor que escolheu aquele Dia dos Pais para curtir com o paizão no estádio. O time de Ney Franco conseguiu sua quarta vitória seguida. Marca impressionante em um campeonato equilibrado e sempre jogando com tranqüilidade, coisa que andou em falta nos tempos de Cuca. Agora, é importante ir consciente para a Copa Sul-Americana e continuar o progresso no Brasileirão.

Pena que o campeonato tem a parte de baixo da tabela, e mais triste ainda é que Vasco e Fluminense estão lá. O Flu anda povoando a zona do rebaixamento desde o começo e o time da colina oscila, mas agora chegou perto perigosamente.

Uma derrota para cada um neste final de semana com seus lados trágicos. Vasco tomou 5 gols do Vitória no Barradão na estréia de Tita no comando técnico. Um mau presságio para um começo de trabalho. Tem vascaíno achando que a diretoria está se preocupando mais com a diretoria anterior do que com o time de futebol. Seja lá o que for, está mais que na hora do time achar uma fórmula de estabilidade e parar de patinar na segunda metade da disputa.

Tão ruim quando perder de 5×0 é tomar uma virada abdicando de jogar futebol. O Fluminense teve medo de vencer o Ipatinga. Mesmo na casa do adversário era melhor e saiu na frente. Depois se acovardou e ficou chamando os mineiros para a festa. E vocês sabem como os mineirinhos são, né? Calados, quietinhos, mas vem chegando. E quando o tricolor percebeu o placar já estava 2×1 e o time que estava covarde, também estava sem forças para reagir. Nocaute clássico, que derrubou Renato Gaúcho. Ele que estava a 5 metros da próxima Libertadores, ficou sem gasolina na última curva e agora voltou a ficar mais perto da Libertadores 2009, porque verá tudo naquele lindo telão LCD na sala da sua casa

Transamérica Esportes – 11/08/2008

Anúncios

A Hermenêutica e a Propedêutica do Futebol – TE007

E quase chegamos a metade do campeonato. E como é bom começar textos falando de coisas boas. Mais alegria e empolgação para seguir a leitura até o final porque se o começo já tem notícia boa, imagine o final então!

O Botafogo tem feito um grande trabalho nas últimas rodadas. 1 empate e 3 vitórias seguidas e convincentes. Ney é Franco. Disse que o time tinha um bom elenco e que seu objetivo era atingir o grupo da ponta antes da virada do turno. A equipe pulou de 15ª posição para a oitava e está muito perto no G4, a apenas 1 gol do Flamengo. O time tem jogado desfalcado nestas partidas e como se viu, o ritmo não caiu. Imagine então quando o time estiver completo! Como diria aquele locutor da TV: “Segura que eu quero ver!”

Foi bonito ver o Fluminense na quarta-feira. Do enterro simbólico com jogadores calados e emburrados no início do jogo à sorrisos efusivos e gritos da “virada tricolor” em 90 minutos. Mas também, nada como uma vitória sobre o cantado com prosa e verso como o melhor time do Brasil e por um 3×1 incontestável. Bom ter de volta o artilheiro fazendo o que sabe e melhor ainda, perceber que não se pode desistir jamais. Se a maré é ruim a tal ponto de “comprar um circo e o anão cresceu”, como disse Renato Gaúcho, então que ensine o coitado a ser trapezista!

Eu disse lá em cima que o início era de notícias boas, então o final seria melhor. Mas foi deixar para o final para falar de Flamengo e Vasco. Então, alguém me explica: Como falar bem de urubu e bacalhau neste momento? Fiz burrada, né?

Claro que não! Posso falar bem deles também, contudo preciso da contribuição dos jogadores das duas equipes para que as coisas dêem certo. O Flamengo foi derrotado pelo Goiás. Foi a terceira derrota seguida. Em 21 pontos disputados, apenas 2 conquistados. Como falar bem disso? Realmente contra esses números não há argumento. O Flamengo está mal e é fato. Mas para dar um alento à torcida Rubro-Negra, o time vêm jogando “relativamente” bem. (Relativamente porque para jogar bem, teria que ter vencido os jogos). Então, a missão é encontrar o sapo que foi enterrado na Gávea, entrar em acordo com o Freddy Krugger sobre os direitos de imagem e voltar a vencer. A hora é essa.

No Vasco, a situação ainda não é de morte, mas foi necessário uma operação de emergência. Tita assumiu o cargo de Antônio Lopes. Um novo treinador, uma nova cabeça trazer novas esperanças para os vascaínos. O time agora resolveu nem vencer em casa mais e o pior para a derrota diante do Coritiba foi que o Vasco perdeu jogando mal. Agora, cabe aos jogadores mostrarem poder de reação. Voltar a vencer em casa e conquistar uma “vitorinha” fora aqui, outra acolá, não faz mal a ninguém, né.

Transamérica Esportes – 08/08/2008

  • Agenda

    • agosto 2018
      S T Q Q S S D
      « jun    
       12345
      6789101112
      13141516171819
      20212223242526
      2728293031  
  • Pesquisar